Fórum destinado a divulgação e composição do RPG - Naruto ''Shinobi no Sho'' - Sistema D8
 
InícioPortalFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Menu
CSS MenuMaker
Últimos assuntos
» Fichas Personalizadas por Clã
Ter 07 Nov 2017, 15:06 por Fësant

» Apresente-se
Sex 25 Ago 2017, 23:48 por George Firefalcon

» Episódio 49 | A Reunião
Dom 06 Ago 2017, 19:15 por Fësant

» Dúvidas do Sistema
Ter 01 Ago 2017, 11:33 por Fësant

» Episódio 46 | Ou Himitsu?
Seg 26 Jun 2017, 02:57 por Fësant

» Episódio 48 | Encontros Esperados
Sab 24 Jun 2017, 18:09 por Inozaki

» Episódio 47 | De volta a Konoha
Seg 12 Jun 2017, 14:46 por Fësant

» Episódio 45 | Shu
Seg 12 Jun 2017, 14:19 por Fësant

Parceiros

Licença
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Compartilhe | 
 

 Episódio 00 | Prólogo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fësant
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 1671
Data de inscrição : 23/06/2009
Idade : 29

MensagemAssunto: Episódio 00 | Prólogo   Sab 27 Jul 2013, 04:38



############# Abertura 1ª Temporada #############



##########################################




— Vinte anos após a Grande Guerra Shinobi, A Vila Oculta da Folha encontra-se em seu período de paz e hegemonia dentro do mundo ninja. Devastadas durante a última guerra, todas as outras vilas, sem exceção, precisaram desses anos para se reestruturar, enquanto que Konoha, que praticamente não foi palco das batalhas travadas, continuou a crescer. E como era, e ainda é, a maior vila em termos militares e financeiros, a Folha fez uma proposta para evitar futuros embates entre as vilas existentes: uma competição, que envolveria todas as vilas. Nessa competição, senhores feudais, monarcas e comerciantes observariam os pequenos ninjas em formação naquele momento em cada vila, e iriam dessa forma decidir em qual delas depositar sua confiança na hora de contratar algum serviço. Nessa competição, ainda existem apostas, para animar as coisas. E, no fim, maquiaram toda essa coisa com o nome de "Exame Chuunin". E é aí que vocês entram. Normalmente nenhum genin chega ao Exame com essa informação, mas eu não tô nem aí... E é bom que vocês saibam onde estarão pisando... Ah! Nem comecei pelo caminho certo: eu indiquei vocês t.... Ueh, cadê a outra? Ah, que seja! Depois vocês mandam recado. Continuando... Eu indiquei vocês três para o Exame Chuunin. Ele será realizado na Vila Oculta da Névoa, em duas semanas. Até lá, mantenham-se focados e preparados!

E no final da fala, mais um soluço. Depois de um ano na companhia do tutor jounin, Hiri e Haika já tinham se habituado com o estado de embriaguez constante daquele homem. Vestes largas, comuns dos espadachins de sua família, em tons de vermelho, com bandana do símbolo da Folha amarrada em seu braço direito. Uma katana de bainha e empunhadura bem adornadas, presa à centura. Na mão esquerda, a já conhecida garrafa de saquê, naquele ponto já praticamente vazia. Por fim, os cabelos ruivos, revoltos como sempre. Seu nome era Asami Kazuki, um dos mais respeitados jounins de Konoha, e um dos mais importantes guerreiros do clã de espadachins da vila: o clã Asami.

Era uma tarde ensolarada em Konoha, mais uma como tantas outras. E os dois genins não esperariam nada mais de importante naquele fatídico e monótono dia. Mas a notícia do Exame Chuunin, o grande teste que permitiriam aos dois evoluir sua graduação e respeito dentro da vila, certamente despertou todos os anseios possíveis.


Hozuki Hirei diz:
- Exame Chunnin? Aí!! É nossa chance de nos livramos desse sensei, Haika! Vamos ser ninjas de verdade! - Exclamou entusiasmado o jovem Genin que, em meio a tanta agitação perante a notícia recebida, sequer notou que o sensei ainda ali se encontrava, fazendo sua presença. Conforme tal emoção, a criança pareceu fazer questão de demonstrar seu sentimento ali no local, sacando sua enorme e pesada espada, quase que de seu tamanho, e a movendo de um lado para o outro. Enquanto manobrava aquela arma, olhava feliz para o seu colega, aguardando que o mesmo o respondesse com tamanha felicidade.

Uchiha Haika diz:
O Uchiha sabia, mais que qualquer outro - aquela era a opotunidade perfeita para reconquistar respeito dentro de seu clã e exibir as habilidades que havia tão árduamente aprendido com Goryuu, o "coroa mal-caráter" que o havia tomado sob tutela, como gostava de chamá-lo. De braços cruzados, o Gennin fitou o solo por alguns segundos, tratando de imediatamente erguer a cabeça com um olhar destemido e ansioso no rosto. Ao passo que um sorriso brotou no canto dos lábios, respondeu de pronto: - Mais me parece um evento-propaganda que qualquer coisa, mas não me importa. Se me dá a chance de provar meu valor, ficarei mais que satisfeito em participar ... ainda que seja com "ela". - No momento em que mencionou o terceiro integrante do time, um arrepio percorreu sua espinha, o fazendo ficar com os olhos semi-cerrados e uma expressão roxa no rosto, um tanto quanto enjoado apenas ao lembrar-se da imagem da Senju. Voltando o olhar para Hirei, fez sinal de positivo com o polegar, abrindo um sorriso espontâneo: - Tchehehehe ! Eu e você damos conta do recado. A gente despacha a "Pau-Oco" e esse beberrão.


— Se livrar de quem?! Pau-Oco? - — gritou Kazuki, logo depois de cuspir fora um gole de saquê que havia acabado de por na boca, o último da garrafa. Depois, largou a garrafa ao chão e segurou ambos os alunos pela camisa, com força, sacudindo o máximo que podia. Haika e Hirei sempre se impressionavam como alguém naquele estado conseguia ter tanta força - — Ora, seus! Vocês não seriam nada se não fosse por mim! Eu que lhes ensinei a arte da espada, seus pirralhos de merda! Pirralhos de merda! Eu não sei onde estava com a cabeça quando aceitei ser tutor de vocês! Francamente! Juro, mas juro que depois que me livrar de vocês eu voooou.... - O jounin não conseguiu completar a frase. Largando os dois genins, simplesmente caiu ao chão, completamente adormecido. Naquele ponto, os dois garotos já sabiam que nada poderia acordar o espadachim.


O Uchiha e o Hozuki ficariam alguns instantes repudiando pela enésima vez aquela cena, mas algo tirou a atenção de ambos. De repente, o ar começou a ficar mais denso. Paulatinamente, a visão dos horizontes foi ficando cada vez mais turva, até que os dois não conseguiam ver mais nada além de alguns passos à frente. Uma neblina forte subita e rapidamente tomou conta do lugar, acompanhada de um estranho ar frio, ainda que leve, mas o suficiente para ser incomum naquele dia quente e ensolarado. Hozuki, conhecia muito bem a origem daquela névoa, e sabia: não estavam sós.

Uchiha Haika diz:
Chaqualhado pelo Sensei, Haika manteve uma gota gigantesca na nuca enquanto seu olhar de peixe-morto ostentava contra Kazuki um asco surpreendente pelo bafo de saquê, mais preocupado em manter o nariz longe do que de fato defender-se do balanço. Ao ser posto no chão, vislumbrou a queda do professor e suspirou, pondo as mãos na cintura enquanto o encarava: - Are, are ... Não tem jei-... Nani? - Susurrou sua surpresa ao final, tomando feições sérias ao passo que uma mão imediatamente prostrou-se no cabo de sua katana. A outra foi logo levada até o bolso, de onde tirou uma kunai singular - sua lâmina apresentava letras e desenhos misteriosos, algo muito similar a um Fuuinjutsu. Fitando Hirei, tomou a iniciativa de adentrar postura costa-a-costa, evitando que fossem pegos pelos flancos em meio àquela neblina.


Hozuki Hirei diz:

- Mas que babac-.. - Foi interrompido Hirei que, ao notar toda aquela névoa - mais familiar do que gostaria - tomar conta do local, rapidamente ergueu sua espada para a frente, enquanto mantia-se atento a tudo ao seu redor. Aquele ar de brincalhão parecia ter ido embora, quando o jovem rapaz assumiu uma feição séria e uma postura pronta para a luta, ao posicionar-se costa-a-costa com Haika. Tal como um shinobi, parecia mais que preparado para qualquer batalha, apesar do pequeno e leve corpo que possuia. Eis que, como ato mais surpreendente ainda que a aparição de uma nova pessoa, o jovem Hozuki exclamou em voz alta: - Quem é o otário que tá aí?! - Finalizou, acabando com qualquer esperança quanto a sua atitude de levar alguma situação a sério, e como tal olhou nervoso para onde pudesse, qualquer canto que fosse, procurando o responsável por aquela incomum - porém característica - névoa.

Os genins tentaram focar a atenção em qualquer coisa de anormal, qualquer ruído ou movimento que pudesse denunciar a localização do inimigo, mas logo descobriram que não seria tão fácil. Mais tarde do que o necessário, notaram que as partículas de vapor das quais era efeita a névoa começaram se a condensar mais do que o normal, e então pequenos filamentos pontiagudos, semelhantes a senbos, surgiram levitando ao ar, ao redor deles, avançando contra os mesmos em seguida. Hiri e Haika tentaram bloquear com suas respectivas espadas, e efetivamente o conseguiram, mas como as agulhas viam de todas as direções, algumas não puderam ser bloqueadas, e finos cortes foram feitos em seus braços.

Uchiha Haika diz:

. - Aquilo era um problema sério - estavam sozinhos em meio ao campo de batalha, e ainda por cima, com um Sensei bêbado que adormeceu em meio a toda essa situação. Disparando uma kunai para o lado, tentou arremessá-la a pelo menos cinquenta metros de distância, o suficiente para que se deslocassem para longe da posição atual, e deixou outra onde estavam atualmente: - Hirei, é melhor tirarmos o velho moribundo desse nevoeiro. - Comentou, em susurros, ao passo que agarrou seu sensei pelo braço. Foi repentino, como num piscar de olhos - a imagem de todos os dois se desfez, como se nunca estivessem ali para começo de conversa. Ressurgiram à cinquenta metros de distância, onde a kunai havia caído. Com sorte, estavam próximos do limite daquela neblina, ou até mesmo fora dela. Em seguida, da mesma maneira, a imagem de Haika retornou para o local onde estava anteriormente, ao lado de Hirei. O processo inteiro levou menos de três segundos, fazendo com que tudo fosse um tanto estranho.

Hirei utiliza de pronto sua técnica secreta, fazendo seu corpo se transformar em água caso receba um novo ataque. Em seguida, tenta procurar a localização do inimigo, mas sem qualquer sucesso. Instantes depois, Haika percebe que três shurikens foram lançadas contra si, mas agilmente utilizou sua katana para repelir os três projéteis, sem dificuldades. Como notaram que evidentemente permanecer dentro da névoa não iria favorecê-los em nada, Haika segurou Hirei e se teletransportou para a kunai anteriormente arremessada, deixando agora todos a salvo da neblina. Provocativo, Hirei grita mais uma vez pelo inimigo, e o que obtem de resposta mais uma rajada de senbons flutuantes contra ambos.

Nem Hirei nem Haika conseguiram defender-se a tempo. O Hozuki, contudo, graças à sua técnica secreta, não sentiu qualquer dano, somente observando as agulhas de água perfurarem seu corpo e se misturarem a àgua do qual ele agora é totalmente composto. Já Haika não teve a mesma sorte: 3 senbons o acertaram, fazendo leves cortes nos braços e na bocheca esquerda. Inutilmente, Hirei busca mais uma vez pelo inimigo, mas sem êxito.


Uchiha Haika diz:

Os cortes o haviam irritado ligeiramente - não sabia quem era o inimigo, qual suas intenções ou o porquê de utilizar uma tática tão esdruxula e impolida que não faria mais que perturbá-los ao limite. Esperou pacientemente, seguro de que seu companheiro estaria mais do que protegido à tudo aquilo graças as suas capacidades exóticas - e quando o momento certo chegou, por fim, deu sucessão ao plano. Três brilhos metálicos piscaram na neblina, e dela, três shurikens voaram em câmera lenta contra os Gennins. Ah, era verdade: Haika não possuia o Sharingan, apesar de sua linhagem e idade. Contudo, aquilo jamais se tornaria motivos para que suas habilidades fossem subestimadas - com reflexos afiados, o Gennin imediatamente disparou em sentido inverso às shurikens uma de suas kunais especiais. O metal da lâmina cortou caminho com as estrelas, voando contra o inimigo que haveria de estar naquela direção. Aquilo, por um centésimo de segundo, deixou o próprio Gennin desprotegido. As Shurikens pairaram em rotação à centímetros do rosto do Uchiha que, súbitamente, desapareceu! Sua imagem se desfez no ar e o efeito slow-motion cessou ao passo que os projéteis cortaram o vazio e fincaram-se contra a madeira de uma árvore. E foi quando, em meio à densa névoa, um vulto amarelo e negro surgiu. Como num passe de mágica, Haika transfigurou-se em frente ao oponente, o fitando de baixo com olhos sérios e agressivos: - Yo. Tudo na paz? - Questionou, numa simpatia que destoava completamente da expressão em seu rosto.


— M-mas como? - — suspirou o inimigo, apôs um suspiro de surpresa. Ou melhor, suspirou a inimiga. Sim, inimiga. Uma clara e bela face de pele clara, de quem nunca, ou quase nunca, tinha visto o sol. Olhos azuis tão claros que qualquer um se perderia somente ao tentar medir sua profundeza. Lábios carnudos, entremordidos pelos dentes, em sinal de nervosismo. Os seios arrebitados, brotando sutilmente em volume sobre a blusa branca, como claro sinal da chegada da mocidade. Por fim, cabelos negros, brilhantes e compridos até pouco abaixo dos ombros. Mas, o mais importante: uma badana amarrada na altura da testa, com quatro "tils" entalhados, em duplas, dois em cima, dois embaixo. Era uma Kunoichi da mesma idade de Haika, mas pertencente à Vila Oculta da Névoa. Ao se deparar com a imagem repentina do Uchiha, a garota ficou completamente sem reação, sendo pouco a pouco tomada pela ira. Ainda assim, ficou imóvel. Segundos depois, a névoa de dissipou, e Hirei pôde constatar com os próprios tudo o que Haika viu bem de perto.

Uchiha Haika diz:
- Ahn ... nada mal... - Comentou, estendendo a mão direita de forma pouco prudente até o momento em que, de repente, o que parecia um ataque tornou-se um ato bastante improvável naquela situação - Haika apalpou os seios da menina! Ele apertou as laterais com o dedo, erguendo as sobrancelhas e retorcendo os lábios como se "medisse" quão bom era o "material". Mas então, de imediato, recolheu a mão: com um sorriso, coçou a nuca ao ver a névoa se dissipando, tomando um semblante mais simpático frente à toda aquela situação - Ah... Aha ... Ahahahaha ... Perdão, perdão. É um mal hábito meu. - Confessou, um pouco sem graça, suas bochechas coradas denotando com claridade que se envergonhava de forma tênue daquele ato. Embora a situação se tornasse diferente, não ousou baixar a guarda. Sua espada se manteve firme na mão direita, e estava pronto para prosseguir combate caso a kunoichi apresentasse hotilidade.

Hozuki Hirei diz:
- Ah, então era uma otária. Vai apanhar, idiota! - Gritou nervoso o pequeno Genin, ao pular para próximo da kunoichi erguendo a espada. A sua fúria de ter sido atacado sem explicação parecia não conseguir ser contida pelo Hozuki que disparou em fúria na direção da inimiga. Apesar de mal ter sofrido dano naquela batalha, as más intenções da garota irritavam e muito o nervoso shinobi da folha. Finalmente, ao aterrisar no chão com um largo salto, Hirei balançou sua enorme e afiada arma enquanto desferia um poderoso corte afim de atingir o atrevida adversária. Se surpreendeu com a atitude de seu companheiro, mas simplesmente ignorou e continuou o ataque, visando as costas do alvo, enquanto exclamava para Haika: - Olha o que você tá fazendo, babaca! Ela é nossa inimiga!


A garota, que já estava imóvel de ira, ficou ainda mais atordoada pela ação totalmente inesperada e absurda do inimigo. Seu rosto claro ficou instantaneamente rubro, e ainda mais irado. Quando Hirei alvejou a oponente para lhe desferir um ataque, a mesma já se encontrava sobre Haika, que estava abatido ao chão, inerte, recebendo uma incontável sequência de socos no rosto repletos de cólera e acompanhados de gritos histéricos. - — Grrrrrrr! Seu! Seu! Seu! Toma isso! Seu! Filho da ...! Toma isso!


— Já basta! - — a voz masculina rompeu no ouvido de todos. Uma figura alta, esguia, porém imponente, simplesmente surgiu a poucos passos atrás da menina. Suas vezes, em estilo semelhante a garota, indicavam pertencerem da mesma vila. O homem de meia idade era careca, porém de barba castanha bem cuidada, com olhos de mesma cor. - — Já chega, Suzune. Falei para não causar problemas! E o que você estava fazendo montada nesse menino?! - — e assim que ouviu essas palavras, a kunoichi se levantou, ficando ainda mais rubra, olhando com vergonha para o homem que acabara de chegar, e entreolhando com ainda mais raiva para Haika, enquanto Hirei ainda estava com a espada levantada, como se tivesse congelado no meio do golpe ao ver toda aquela cena. - — Depois penso que farei com você... - — completou o homem.


— Não seja tão severo, meu caro, são só crianças, estão na idade de descobrir essas "coisas", Hahahaha! - — disse a outra figura que também tinha surgido, mas somente agora notado. Essa era bem conhecida: trajava roupas em variação de cor azul, com o símbolo de clã Senju às costas. Cabelos loiros bem claros, quase em tom prateado e uma expressão que estranhamente conseguia alternar do sério para o leve e bem humorado em segundos. Era o grande Hokage, Senju Myuura. - — Garotos, esse é Matsuda, veio de Kirigakure para acertar comigo os últimos detalhes do Exame Chuunin do qua irão participar... E parece que Kazuki ficou tão feliz que até bebeu em homenagem à ocasião... - — disse o Hokage, dessa vez em tom de desdém. - — Agora vou acompanhá-los, pois já estão de partida. - — E fazendo um sinal para que prosseguissem, Myuura segui a frente, sendo seguido pelo homem nomeado Matsuda, e logo depois pela menina chamda Suzune, que virou o rosto para trás enquanto andava, para lançar mais um olhar de ira a Hirei, e principalmente Haika.


Uchiha Haika diz:

- Entendo, entendo. - Retrucou diante da situação, cruzando os braços e acenando com a cabeça como se tentasse parecer saber de toda a situação. Seus olhos, volta ou outra, viravam-se de encontro aos seios da Kunoichi, como se furtivamente tentasse avaliar melhor o produto que há pouco havia provado no tato: - Vocês da névoa são bem forte. Sou Haika. Uchiha Haika. - Se apresentou, curvando-se levemente diante dos sêniores que estavam ali, em especial o careca que provávelmente era pai daquela menina. Antes que pudessem partir, Haika catou do chão uma de suas kunais, e num ato inesperado, correu de repente até Suzune, buscando pegar a mão da moça na cara dura em um gesto gentil. Com um sorriso carismático, embalado pela boa aparência que apenas ele tinha, pôs a kunai na mão da garota indiferente à ira que ela demonstrava, concluindo: - Aqui. Um presente, pra que nos encontremos de novo um dia desses. - Concluiu, logo em seguida dando de ombros e seguindo até Hirei conforme resmungava em tom informal, bem acostumado a conversar com o garoto - Are, are ... Já não te disse que se for tão agressivo, vai terminar velho, com dez gatos e sem esposa?! Você precisa aprender a tratar bem uma dama, Hirei. Depois te dou algumas dicas.

Hozuki Hirei diz:
- Essa desgraçada... - Resmungou Hirei perante a cena surpreendente que acabara de ocorrer. O surgimento de ambos Hokage e o tal Matsuda no local somente serviram para impedir o jovem genin de concluir seu intento de vingar-se da kunoichi após ter sido inexplicavelmente atacado. Irresponsável e emotivo do jeito que era, mal ligara para a presença de figuras importantes no local, erguendo sua mão e deixando somente o dedo do meio levantado, simbolizando sua raiva para a garota, fazendo questão que esta visse o gesto. Com a mão restante, guardou a enorme espada que possuia, dando fim aquela batalha que sequer teve chance de concluir por si mesmo. Ao notar as palavras de seu companheiro, não pôde perder a chance de responder de forma totalmente característica de sua personalidade: - Foi ela que me atacou do nada! Vou é pedir dicas para a Chizuru, seu babaca!

Suzune, já próxima daquele homem que lhe deu as ordens, não pôde reagir ao receber a kunai de Haika em suas mãos... ou talvez, não quisesse reagir. Ouvindo as palavras o Uchiha, ficou somente olhando a kunai por uns instantes enquanto caminhava, sem nada a dizer. Mas quando viu o gesto de Hirei, retribuiu ao seu estilo, monstrando a língua, em deboche. E quando se voltou para frente Haika e Hirei tiveram a pequena impressão de terem visto um sorriso sendo suprimido com todas as forças nos pequenos lábios carnudos da menina.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://naruto.sistemad8.com
Fësant
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 1671
Data de inscrição : 23/06/2009
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: Episódio 00 | Prólogo   Qui 01 Ago 2013, 23:33



############# Encerramento 1ª Temporada #############



##########################################


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://naruto.sistemad8.com
 
Episódio 00 | Prólogo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Update SAIA LOGO
» Diálogo em uma história narrada em primeira pessoa
» Dungeons em Dragons(Caverna do Dragão) Ultimo Episódio
» [EVENTO] MONTE SUA QUEST BASEADA NOS EPISÓDIOS DA SÉRIE POKEMON!
» 'Novo' logo, nova edição e a celebração dos 40 anos de D&D!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto: Shinobi no Sho - Sistema D8 de RPG :: Tópicos Arquivados :: Arquivos do Fórum :: Naruto SnS Online :: Toua: O Oriente :: Toua: Gaiden :: Episódios-
Ir para: